Segunda-feira, 10 de dezembro de 2018 | 02:39

Mundo - 05/12/2018 | 17h36m

Terremoto provoca retirada da população na Nova Caledônia

Um sismo de magnitude 7,5, seguido de pelo menos dez fortes réplicas, foi registrado quarta-feira, 5, na costa do arquipélago francês da Nova Caledônia, no oceano Pacífico, provocando um alerta de tsunami, já suspenso, assim como evacuações numa parte do litoral.

As autoridades desse território e da vizinha Vanuatu disseram que ainda não há informação de possíveis danos, embora o primeiro tremor tenha ocorrido a apenas dez quilômetros de profundidade.

O epicentro do terremoto foi registrado a cerca de 170 quilômetros ao sudeste das ilhas Lealdade, no leste da Nova Caledônia.

O Centro de Alertas de Tsunami do Pacífico (PTWC, na sigla em inglês) alertou sobre ondas que podem chegar a três metros.

O diretor dos serviços de Defesa Civil do território francês, Eric Backès, relatou que se observaram ondas entre 1,50 e 2 metros na ilha de Los Pinos e na Maré, nas ilhas Lealdade, assim como "movimentos anormais do mar".

O alerta de tsunami foi suspenso no meio do dia. Avisadas pelas sirenes, as populações dessas regiões foram evacuadas para as zonas mais afastadas do mar, ou lugares situados em altitude.

"Estava numa reunião na prefeitura e senti um pequeno tremor e depois um mais forte. O prédio se moveu, mas não houve danos", disse à AFP Basile Citre, vereador municipal de Maré, no leste do arquipélago.

"Quando soaram as sirenes, a população fugiu para as zonas altas da ilha para se pôr a salvo. Até o momento, não aconteceu nada grave", acrescentou Citre.

"O tremor foi longo. É a primeira vez que vejo que as paredes se movem até esse ponto, mas não houve danos", contou outro morador da ilha de Maré.

A Defesa Civil confirmou que não houve danos, nem feridos.

Na vizinha Vanuatu, vários habitantes correram para se refugiar em zonas altas. Na ilha de Tanna, foram registradas ondas de 72 centímetros de altura. Moradores desta ilha relataram que os edifícios tremeram e que o mar se transformou em espuma em certos locais sob o efeito do primeiro sismo.

Um porta-voz do Observatório de Riscos Naturais disse à AFP que não se ordenou qualquer evacuação da população.

"Não há sirenes em Tanna, mas as pessoas estão acostumadas com esse tipo de situação. Tomaram precauções e se abrigaram nas zonas altas", completou.

As sucessivas réplicas alcançaram magnitude de 6,6, disse o Instituto de Estudos Geológicos dos Estados Unidos (USGC, na sigla em inglês).

Território de 269.000 habitantes com importantes reservas de níquel, a Nova Caledônia rejeitou no mês passado um referendo de independência, embora os partidários da separação tenham conseguido pelo menos 44% dos votos.

Agência France-Presse