Quarta-feira, 15 de julho de 2020 | 07:39

Matérias - 30/06/2020 | 08h45m

Defesa Civil continua limpeza do Rio Sesmaria

Resende
A Diretoria Geral Municipal de Defesa Civil deu andamento ao trabalho de limpeza do Rio Sesmaria. O objetivo é minimizar os impactos das chuvas para as populações que ao longo dos anos se alojaram em áreas próximas ao leito do rio.

Outra ação destacada é evitar pontos de alagamento em períodos de chuva, principalmente no bairro Ipiranga.

Esta foi a segunda etapa da limpeza do Rio Sesmaria este ano, sendo que a primeira ocorreu entre os dias 27 e 30 de abril. A manutenção preventiva de limpeza do leito e da calha do rio resultou na retirada grande quantidade de vegetação, que estava contribuindo para dificultar o fluxo e a vazão da água.

"A manutenção do leito e da calha do rio evita o estado crítico, pois em períodos de chuvas intensas esses entulhos e vegetações favorecem o transbordamento e pode ocasionar alagamentos em alguns pontos do bairro”, explicou o diretor da Defesa Civil, Flávio Germano.

A ação de limpeza é feita de maneira conjunta, contando também com apoio da Agência do Meio Ambiente de Resende (AMAR) e da Secretaria Municipal de Obras. “Com esta ação garantimos o escoamento das águas das chuvas evitando assim a possibilidade de alagamentos e as cheias. O trabalho preventivo foi realizado, onde todo material recolhido foi encaminhado para local de descarte adequado”, destacou o diretor.

Resende em Ação
Atividades de prevenção, como a que ocorreu, são parte de um planejamento integrado do governo para evitar problemas maiores em épocas de chuva.

Além da limpeza dos rios, são feitos serviços específicos nas redes de drenagem, poda em árvores de grande porte e limpeza das vias. Com isso, há desobstrução contínua das chamadas “linhas d’água”, que com areia e lixo acumulados podem comprometer as galerias pluviais.

Em outra frente, a Diretoria da Defesa Civil, em contato com Departamento de Recursos Minerais do estado do Rio de Janeiro (DRM), solicitou um novo mapeamento de risco para o município. A expectativa é conseguir avaliar a evolução dos trabalhos realizados ao longo dos últimos três anos.

Foto: PMR