Terça-feira, 24 de novembro de 2020 | 15:15

Editorial - 20/11/2020 | 09h29m

Eleitos de 2021 a 2024

A vida comum transforma-se aos poucos, no pesadelo iniciado nas comemorações de 1º de janeiro de 2021. A exata afirmação encontra o pensamento de cada novato, que ocupará uma cadeira do Legislativo, especificamente aqui, o de Barra Mansa (RJ).

Na lista de explicações, o conhecimento dos documentos oficiais, que não é de proximidade de nenhum deles. Também não é de interesse do PODER, que seja.

O perfil é da época do coronelismo: assina aqui e pronto; tem um documento para você assinar agora; não faça pergunta; quem é você para perguntar isso; cale sua boca; chegou agora e quer perguntar o que não conhece e todo o autoritarismo possível nesse pensamento. Para amenizar os ataques, cerimônias de entrega de certificados e medalhas, títulos, homenagens e publicações de textos já prontos enviados aos mesmos veículos de comunicação contratados pelo PODER para dar publicidade aos sorrisos enganosos do que acontece por baixo do tapete da política local.

Paralelo ao que nada se cumpre do que foi prometido ao eleitor, contas, indicações políticas, cargos, gratificações e folhas de pagamentos não são transparentes. Milhões chegam, mas sua explicação não encontra seu gasto. Nos bairros, o mesmo abandono de antes. Não há investimento no setor imobiliário, que continua nas mãos daqueles velhos conhecidos. É a história do “toma lá, dá cá”. Aliás, quando se conhece detalhes disso tudo, encontra-se o motivo de grandes médicos aqui não exercerem suas profissões; grandes empresários aqui, não abrirem frentes de trabalho para a população. É um município maravilhoso, menos aos olhos daqueles, que não aceitam a mistura cruel de Executivo, Legislativo, Judiciário (e com raríssimas exceções), religião, verbas públicas e seu devido emprego centavo por centavo.

O cidadão comum, que nada entende de política, deita e levanta do mesmo jeito que nasceu. O PODER continua rico e de 2021 a 2024 será o mesmo, calando a boca de quem ousar ser representante do povo, ainda que a própria VIDA esteja em risco e isso, por pouco tempo.

Será mais um mandato de 4 anos com discursos de ações limitadíssimas e nada mais.

 

Eliete Fonseca
Jornalista Profissional
Registro MT 18.902/RJ