Terça-feira, 19 de outubro de 2021 | 15:18

Editorial - 14/06/2021 | 11h59m

Rotina em Barra Mansa

Tudo começou em março de 1991, acabando uma história em 20 de dezembro de 2018. Sem respeito algum. Sem a dita “ética” alguma. Sem nenhum tipo de coerência tão pouco coesão. Sem lógica nem nenhuma explicação, que justificasse o “fora”, fui colocada à disposição da Secretaria Municipal de Educação do município “para procurar outra escola, ou se quisesse, sair para a aposentadoria já que tinha o Direito e dele podia solicitar no Fundo de Previdência Social de Barra Mansa, a tão almejada Previbam”, minha aposentadoria após 27 anos de trabalho direto na mesma escola municipal, onde estudei e fui destaque, da antiga 4ª série até a 8ª série do Ensino Fundamental.

Abro meu Editorial de Jornalista Profissional buscando a lógica da política de Barra Mansa que, a exemplo da história da cidade de Roma Antiga, muito se aproxima com sua total ausência de caráter, ética, brio, etiqueta e tudo que do que devia ser o correto, se aproxima e se valida nas 24 horas do dia, mas e a VIDA? E a VIDA? E a VIDA?

A resposta é simples. A VIDA está abaixo do dinheiro público, está abaixo do poder conferido pela coisa dita pública, está muito abaixo dos cargos ditos comissionados, dito indicados pelos partidos políticos, está muito abaixo das indicações de empresários do ramo varejista, de instituições, que há décadas comandam e fazem o que querem sem fiscalização nenhuma. Tudo muito mais fácil que tirar doce da boca de um recém-nascido, porque grande parte da população sequer conhece vereador em mandato, secretários nomeados por prefeito e nunca imaginaram a estrutura do judiciário local.

As principais cartas do baralho andam na principal avenida do município, a Joaquim Leite, e não são notadas, porque não são conhecidas, mas vivem do dinheiro público e dele fazem o patrimônio muito à vontade sem cobrança de nada e de ninguém.

Imprensa? Com toda documentação de todos os órgãos públicos e totalmente validada para exercer minhas profissões, ora como Professora de Língua Portuguesa, Literatura e Redação, ora como Jornalista Profissional, vejo aposentada na Previbam desde 13 de agosto de 2019, que a história nunca muda. Sempre os mesmos para os mesmos e os seus e isso custe quanto caixão custar e a VIDA de quem for. É a lei de Roma com seus filmes históricos: “Para meus amigos, tudo. Para os outros, a Lei”.

E foi nessa Lei com meu currículo em mãos, que obtive o “aqui você não pode estagiar, porque tem currículo e é Jornalista Profissional”. Minha atitude? Trancar a matrícula no curso de Direito imediatamente, isso em março de 2020.

Hoje, diante de fatos da política barra-mansense “com sua dita literatura institucional”, “com suas mesmas peças empresariais e condutas dos seus e para si”, “com a precariedade e decadência absoluta dos cargos ditos públicos com os mesmos tipos de apadrinhamentos no que se denomina Imprensa, Poder Legislativo e Executivo, fico aqui a observar e a me perguntar: Até quando o prefeito reeleito Rodrigo Drable Costa (2 vezes vereador, 2 vezes prefeito e com aspiração ao cargo de deputado federal em 2022 para ficar no PODER dito público até o último suspiro com os seus e para os seus) continuará fracionando o pagamento da folha da Previdência do Município de Barra Mansa sem que ninguém, ou nada, coloque a lei publicada pelo então prefeito Luiz Amaral, cujo texto publicado em 1991 deixa certo, “que o município tem que pagar o servidor até o dia 5 (CINCO) do mês seguinte” e jamais “quinto dia útil” como o prefeito reeleito afirma, em suas postagens tão pessoais e o mais drástico, absurdo, sem lógica, sem coerência, sem coesão, sem LEI, sob aplausos de seus apadrinhados políticos, empresariais, varejistas e as mesmas instituições de sempre sobre a cabeça de Barra Mansa que, aos poucos, sepulta, esquarteja, mutila e mata, a exemplo da Lei de Roma, quem abaixa a cabeça para tudo que está escrito acima.

E mais uma vez:

Assim não dá.

Ponto.

Eliete Fonseca
Jornalista Profissional
Registro no Ministério do Trabalho / MT
REG. 18902/RJ