Sexta-feira, 19 de agosto de 2022 | 21:08

Matérias - 27/07/2022 | 08h14m

Biblioteca Municipal Raul de Leoni recebe 1ª Mostra de Artes e Cultura Surda

Volta Redonda
A Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência (SMPD), em parceria com a Secretaria Municipal de Cultura (SMC), abriu a 1ª Mostra de Artes e Cultura Surda. A exposição fica localizada na galeria da Biblioteca Municipal Raul de Leoni, no bairro Vila Santa Cecília. Os visitantes poderão conferir as obras como pinturas, desenhos e esculturas elaborados por artistas surdos, de 8 às 17h, até o dia 12 de agosto, com entrada franca.

De acordo com o secretário Municipal de Cultura, Anderson de Souza, a ideia da criação de espaços inclusivos surgiu durante as reuniões do Fórum Regional de Secretários de Cultura, onde foram discutidos temas para que os municípios colocassem nas suas pautas ações de culturas inclusivas.
“Foi assim que começou esse movimento. Junto com a Secretaria Municipal da Pessoas com Deficiência começamos a fazer essa inclusão.Inauguramos a biblioteca em braile e hoje estamos abrindo essa Mostra para os artistas surdos que tinham os seus trabalhos prontos. A ideia é que, a partir disso, a gente comece a criar esses públicos e a buscar forma de fomentar essas iniciativas para que os artistas que ainda não produzem possam começar a criar”, disse.

Anderson destacou que ação de hoje é o ponta pé inicial para o município colocar no seu calendário atrações de artes visuais, que incluam artistas surdos e cegos à cultura inclusiva.
“Aqui é a casa da cultura, portanto, a casa deles. Que essa seja apenas a primeira exposição. Estou feliz por eles terem aceitado a fazer parte dessa mostra”, ressaltou o secretário.

O secretário Municipal da Pessoa com Deficiência, pastor Washington Uchoa, frisou que a mostra é uma oportunidade para que a sociedade conheça os trabalhos desenvolvidos pelos surdos.
“É mais um espaço criado em Volta Redonda para dar visibilidade e promover a acessibilidade dos surdos. Preciso agradecer muito ao nosso prefeito Neto, pelo apoio que recebemos. Hoje mesmo solicitei a compra de dois computadores para a biblioteca, onde serão disponibilizados livros em áudio, e ele me disse que vai providenciar.O que estamos fazendo aqui, nessa parceria com a Secretaria de Cultura, vai avançar muito mais. Convido a todos para vir prestigiar os trabalhos deles”, disse o pastor.

A coordenadora de projetos da SMPD, Eliete Guimarães Vasques, comentou que em um ano o governo municipal conseguiu implantar diversos projetos promovendo a acessibilidade em Volta Redonda.
“A criação dessa mostra demonstra o crescimento das ações da nossa secretaria. Todos os projetos que levamos ao prefeito Neto, ele aprova e coloca em prática. A faculdade para os surdos, por exemplo, era um sonho. Hoje, além de estudar, eles estão trabalhando e expondo suas artes. É um avanço muito grande para nossa cidade e não vamos parar. Muitos outros projetos vão surgir. É muito gratificante ver como o surdo é capaz”, destacou Eliete.

Osvaldo Castro Junior, Conselheiro Estadual de Cultura do Estado do Rio de Janeiro, representando o Médio Paraíba, comentou que a cultura tem que ser acessível a todos os públicos, mas principalmente as pessoas com deficiências, além de crianças e idosos.
“Esse trabalho nasceu de uma ideia que levamos para o Fórum de Políticas Culturais do Médio Paraíba. Volta Redonda está de parabéns, pois abriu uma biblioteca com livros em braile, agora está fazendo uma mostra para artistas surdos. Espero que essa inspiração que a cidade está dando, seja espalhada para outros municípios, não só do Médio Paraíba, mas no Estado do Rio de Janeiro”, disse o conselheiro.

O ator surdo e presidente do Centro de Integração de Cultura e Arte Surda (CIACS), Ricardo Boaretto, que fez uma apresentação especial de Visual Vernacular, elogiou a iniciativa.
“Fiquei encantado com a obras que estão expostas. Esses artistas são modelos para outros surdos se inspiraram. Volta Redonda precisa estar orgulhosa por ter todos esses artistas. A arte deles está tendo visibilidade social nesse espaço e podem ser vistos pelas famílias e principalmente as crianças, que podem se inspirar e copiar esse modelo e se sentir capaz. O surdo não pode ter visibilidade apenas no mês de setembro, quando é comemorado o Setembro Azul. É preciso criar esses espaços para dar visibilidade ao surdo”, disse o ator.

Artistas participantes:
- Juliane Cristina Brizola

- Sidcley Soares Lemes

- Sérgio Ricardo Gonçalves

- Mirian Jéssica C. Ferreira

- Mirian Barbosa Teixeira

- William José Brito Silva

- Rachel Castro Pontes

Centro de Artes Inclusivas do Sul do Estado
Durante a cerimônia de abertura da 1ª Mostra de Artes e Cultura Surda o secretário de Cultura, Anderson de Souza, anunciou que o Espaço das Artes Zélia Arbex será transformado no primeiro Centro de Artes Inclusivas do Sul do Estado.

O local vai passar por uma reforma geral e será totalmente adaptado. As exposições terão áudio descrição e o novo espaço contará com bancos acessíveis para a terceira idade e entrada para cadeirante.

“Hoje estamos lançando a ideia e despertando nesse público a vontade de produzir e se integrar a cultura. Temos certeza de que num futuro bem próximo, vamos ser referência em cultura inclusiva”, finalizou Anderson de Souza.